A secretaria de Educação do RN, finalizou o protocolo de segurança para atividades presenciais nas redes públicas e privadas do estado.

O Protocolo em referência foi elaborado por um comitê formado por quinze entidades, entre elas a SEEC-RN, e traz uma série de recomendações, medidas e instruções para o retorno das atividades presenciais em todas as escolas do Rio Grande do Norte. O documento, de 84 páginas, não especifica uma data para o retorno dessas atividades, definição que ficará a cargo do Comitê Científico, que se reunirá para debater a temática nesta quarta-feira. 

A retomada das atividades é definida em quatro fases, com a primeira delas já em andamento após a publicação desse Protocolo. Essa primeira fase inclui a constituição de comitês e comissões para elaboração de Plano de Retomada Gradual, com protocolos de segurança sanitária e estrutural, além do Plano de Trabalho Pedagógico, e um levantamento de profissionais e estudantes em grupos de risco, comorbidades, casos da covid-19 na família, condições de trabalho e renda e de acessibilidade aos meios digitais para atividades remotas.

A Fase 2 dispõe sobre o retorno presencial dos trabalhos dos servidores, com a capacitação para as “novas rotinas relacionais, pedagógicas, administrativas, alimentares”. Essa etapa aconteceria em até 10 dias após a publicação dos Planos de Retomada. 

As Fases 3 e 4 seriam as correspondentes à volta às aulas nas escolas no Estado. O secretário de Educação do Rio Grande do Norte, Getúlio Marques, explicou que o Protocolo se trata de uma normativa geral para as escolas, porém, ficará a cargo de cada rede a construção do seu protocolo, adaptando-o às suas especificidades e necessidades. As escolas privadas, por meio do Sindicato das Escolas Particulares do Rio Grande do Norte (Sinepe-RN), já possuem um documento, que chegou a ser encaminhado ao Comitê Científico do Estado no dia 27 de agosto. 

O documento da SEEC/RN pede ainda atenção especial aos concluintes do 9° ano do Ensino Fundamental, da 3ª. série do Ensino Médio, incluindo os estudantes da Educação de Jovens e Adultos das duas etapas. O Protocolo fala em oportunidades de recuperação e reposição necessárias das aulas e dos objetos de conhecimento para que esses alunos específicos não tenham dificuldades na obtenção dos respectivos certificados de conclusão, “de modo a não serem prejudicados em relação aos seus objetivos futuros de ingresso no mundo de trabalho ou de acesso ao Ensino Superior”. 

De acordo com o secretário Getúlio Marques, além da tentativa de unificação dos chamados “ciclos” de aula junto aos municípios, uma vez que essa ainda é uma ideia para a rede estadual, a SEEC também trabalha em outra frente, que é a viabilização da abertura de um edital para que um canal de TV aberta do RN transmita aulas, em três turnos, num investimento de pelo menos R$ 600 mil, que pode se estender até o final do ano.

Tribuna do Norte

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem